Últimas Postagens

“Entreguei minha homossexualidade a Deus”, testemunha ex-ativista gay

By 10:00


O ex-ativista dos direitos dos homossexuais David Bennett participava anualmente das paradas LGBT em Sydney, Austrália. Com uma forte postura  anticristã, ele rejeitava a ideia de que seu estilo de vida era errado ou mesmo pecaminoso.

Os pais de Bennett eram agnósticos, mas ele frequentou uma escola evangélica conservadora na infância. Decidiu “sair do armário” quando tinha apenas 14 anos. Na ocasião, rejeitou completamente Jesus e a Bíblia. Disse que enfrentou a homofobia desde cedo. Certa vez, quando estava com o namorado em um parque, um homem atirou um tijolo neles.

Quando ele tinha 19 anos e cursava Jornalismo na Universidade, entrevistou uma cineasta e quando perguntou o que a inspirava, ouviu-a dizer que era Deus. Ela perguntou se o jovem conhecia o amor de Deus e se ofereceu para orar por ele. “Sou homossexual, não acho que Deus esteja interessado em mim’, foi a resposta de Bennett.

Tempos depois, ele acredita que teve uma “experiência” com o Espírito Santo. Voltou a se encontrar com a cineasta e ela lhe disse que vinha orando por ele. “Aquele era o amor que eu tinha esperado por toda a minha vida”, conta. Bennett disse que ouviu uma voz no seu interior dizendo: ‘Você vai aceitar meu filho Jesus como seu Senhor e Salvador?”. A resposta foi “sim”.

O ex-ativista agora pretende escrever um livro sobre sua experiência. Faz questão de frisar que o amor de Deus virou toda a sua vida de cabeça para baixo.

Mas ele ainda não estava inteiramente convencido. No início de sua caminhada, defendia que  o casamento gay poderia ser aceito por Deus. Contudo, acabou confrontado pela Palavra.

“Chegou a um momento em que Deus me disse: ‘Você precisa abrir mão de sua homossexualidade completamente.’ Eu respondi: ‘Senhor, seu filho morreu na cruz por mim, eu lhe darei qualquer coisa’. Então entreguei a ele minha homossexualidade, e senti esse apelo ao celibato. ”

Bennett admite que esta foi uma decisão difícil, mas hoje consegue falar abertamente sobre isso. Ao estudar as Escrituras, entendeu que o casamento não é simplesmente um compromisso vitalício entre dois indivíduos, mas a união entre um homem e uma mulher, como a criação mostrada em Gênesis.

Atualmente ele é palestrante do Centro Oxford de Apologética Cristã e cursa pós-graduação em teologia na Universidade de Oxford. Seus planos incluem um PhD em Ética Cristã no próximo ano.

Para Bennett, a questão dos gays é algo importante em nossos dias, mas a Igreja ainda não se deu conta disso. Conclui dizendo que anunciar a verdade é algo que deve ser feito com amor.

Ele explicou à Christian Today: “Sempre tive essa forte sensação que Deus me chamou para falar, de uma forma amorosa, mas anunciando a verdade. Essa é a parte mais difícil em tudo isso, pois as pessoas têm visões muito diferentes sobre o que é isso”.

“Muitas vezes, quando nós, cristãos, nos concentramos na moralidade, perdemos a oportunidade de comunicar o amor de Deus em Jesus Cristo. Esquecemos que, acima e além da moralidade, está o amor de Deus através da graça de Jesus Cristo que pode nos salvar. Quando dizemos à comunidade gay: “Você não pode ter Deus” eles irão nos ver como alguém que tenta privá-los da coisa mais importante do mundo”, encerra.

VEJA TAMBÉM

0 comentários

Críticas construtivas serão sempre aceitas, mas comentários com palavrões/chingamentos serão automaticamente excluídos!