Últimas Postagens

Quando Deus toca

By 22:41

Quando a gravidez de Monique Pereira Garcia, de 28 anos, foi concluída e ela não foi liberada do hospital com a filha, o esposo Aparecido Ramirez Pires, de 48 anos, soube qual reação assumir. "Se ela não tinha liberação e os médicos não me falavam por que, imaginei que fosse alguma complicação com ela ou com minha filha recém-nascida", explica Aparecido, que correu aos pés do Senhor.

Realmente, a pequena Ana Carolina, de 19 dias, havia nascido com sopro no coração. Pela medicina, um buraco, uma ausência, que não termina a ligação das válvulas cardíacas e faz com que o sangue não siga seu fluxo corretamente. Ciente de que a esposa e a filha estavam no hospital, Aparecido veio até o Templo dos Milagres, na esperança de conseguir a cura direta de Deus através da oração de homens de fé. "Corri no altar, estava o Bispo Antônio Pereira, pedi a ele uma toalhinha Sê Tu Uma Bênção e levei essa toalha para minha esposa e minha filha". Segundo Aparecido, na ocasião, sua situação financeira era tão complicada que, nessa ocasião, ele ainda não possuía dinheiro nem para a passagem de ônibus para buscar a toalhinha.

Conforme a fé em Deus, justificada, Aparecido e Monique, que também continuava orando no hospital junto de Ana Carolina, receberam o toque de Cristo e logo foram liberadas. "Foi a mão de Deus, porque nem os médicos sabem explicar. Simplesmente o coração de Ana se regulou e a veia se completou, eliminando o sopro do coração dela", diz Monique. 

E, como a obra de Deus é sempre por completo, neste domingo (24 de Maio), a família trazia a pequena Ana para ser apresentada, com algumas diferenças da última vez em que Aparecido esteve no templo. "Hoje, chegamos com meu citroen 0 km, um dos frutos que Deus tem nos dado, com sua bênção. Pela misericórdia Dele, temos prosperado e trago uma oferta de gratidão também, de mil reais, porque Deus, quando toca, muda completamente a nossa história", testifica Aparecido.


Igreja Mundial do Poder de Deus

VEJA TAMBÉM

0 comentários

Críticas construtivas serão sempre aceitas, mas comentários com palavrões/chingamentos serão automaticamente excluídos!